Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese, English, Livros, Viagens

Histórico
    Categorias
    Todas as Categiorias
      China
      Viver na China


    Votação
    Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
    Baobei Foundation - Precious life, precious child.
    Shanghai Connection
    Glaucia Garcia
    Laço do Infinito
    A lira do mercador chinês - Gilson Rosa
    Só sei que nada sei...
    Things become things.
    Tofu na China
    Palavras Vagabundas
    Receitas e tradições
    Expressões
    Doce Encanto
    PapelPicote
    Centro Espírita Irmã Cristina - Praia Grande - SP
    Sobreviver em Sinop
    Arquitetura Fashion
    Mentirinhas do Coala
    Jardim Valentina
    Brazilian Abroad - Brasileiros no exterior
    Do you Shanghai?
    A vida em mandarim
    Diário de Bordo - Agamenon Plait







    MUDANÇA DE ENDEREÇO DO BLOG

     
     

    MUDANÇA DE ENDEREÇO DO BLOG

    Olá Pessoal,

    Espero que tenham passado um excelente Natal.

    É para dar algumas noticias sobre o blog. Sei que muitos não acessam Facebook ou twitter e ai só o bom e velho email. Rs

    Bom, a China continua na minha vida, mas repaginada! Afinal todos temos que mudar, e para melhor! A experiência, o passar do tempo, sempre nos fazem refletir, ponderar e amadurecer.

    Então estamos de casa e roupagem nova!

    Agora o China na minha vida está hospedado no Wordpress. Um site com muito mais recursos, mais possibilidade de interação e divulgação.

    O único senão, para quem está na China, é que só acessamos ele com VPN. Mas para quem está em qualquer outro lugar do mundo, inclusive Hong Kong, isso não é um problema.

     

    Criamos uma identidade para ele também, com a ajuda da ELYTS, que teve meses de paciência, até achar algo que eu endendesse como a ‘cara’ do blog. Obrigada, Kátia.

     

     

     

     

     

    E para finalizar agora temos um dominio .com. Obaaa...

     

    Então, aguardo a visita de vocês no www.chinanaminhavida.com

    Naveguem, opinem, compartilhem.

    Conseguimos re-publicar TODOS os posts desde o inicio do blog.

    Um trabalho meio doido, mas que valeu todo o esforço.

     

    E para quem quiser, pode ‘SEGUIR O BLOG VIA EMAIL’, é só colocar seu email no local com a frase ao lado e pronto!

    Tudo que publicarmos chegará no seu email!

    Também há possibilidade de assinar o twitter e dar o ‘like’ na página do Facebook direto do blog.

    Também poderá enviar o link para seus amigos diretamente da página que estiver lendo.

    E mais novidades serão incorporadas a pagina. É só seguir e aguardar.

     

    Mais uma vez, agradeço a todos que me incentivaram, seguiram, deram suas opiniões, colaboraram com material e divulgaram o blog.

    Realmente isso fez muita diferença para chegarmos até aqui.

    Que Deus nos abençoe e continue sempre iluminando nossos caminho.

    Um Feliz Natal e que 2013 seja realmente um ano de muitas realizações para todos.

    Obrigada!

    XièXiè!

    Grande abraço,

    Christine.

     


    www.chinanaminhavida.com

     



    Categoria: Viver na China
     Escrito por Christine Marote às 08:28
    [] [envie esta mensagem] []





     Escrito por Christine Marote às 15:28
    [] [envie esta mensagem] []



    Er Nai ou, simplesmente, segunda esposa.

     
     

    Er Nai ou, simplesmente, segunda esposa.

    Eu já havia lido em alguns livros sobre a questão das segundas esposas ou concubinas na China antiga. As regras eram claras e isso chegou a causar muitas brigas, ciúmes e tragédias na história do Império. Num dos livros que recomendei aqui no blog, “A boa terra” de Pearl Buck, relata o sentimento da esposa do camponês quando ele decidiu trazer uma segunda esposa para dentro da sua casa. No livro  ‘A Ultima Imperatriz’, da mesma autora, toda a história é calçada na ascenção de uma comcubina ao papel de ‘preferida’ e, literalmente, dominante dentro do Império.

    Mas isso foi há muito tempo, e com a revolução cultural, as mudanças radicais que aconteceram na China nos ultimos 60 anos, não captei que isso ainda era uma prática corrente. Mas sábado passado, tive uma aula sobre marketing na China e dentre alguns artigos que lemos, estava o de Tom Doctoroff, publicado em fevereiro de 2011, que tem como título:’Segundas esposas e efervecência do mercado de luxo na China’ (tradução literal), que pode ser conferido aqui para quem tiver curiosidade (em inglês).

    Bom, claro que isso ficou martelando na minha cabeça, até porque a discussão também nos levou a conclusão que é ainda uma prática comum na China. E continua causando os mesmos problemas sociais que haviam no império: ciúmes, disputas de poder em familia e, se não tragédias, ao menos algumas discussões acaloradas entre as ‘esposas’.

    A última Imperatriz, concubina que deu o filho homem ao imperador e se tornou uma das mulheres mais poderosas da história da China.

    E ai, o que posso contar a vocês é que as Er nai (二奶), segunda esposa  ou Xiao San (), amante (ou no sentido literal do chinês: a terceira jovem, a terceira pessoa dentro do relacionamento) não são oficialmente aceitas, mas também não são discriminadas completamente. Na realidade são aceitas pela cultura na sua essência! Para o homem que escolhe ter a‘er nai’, elas representam status, pois isso significa que eles podem manter duas mulheres confortavelmente dependendo dele.

    E, acreditem: elas são caras. Pois levam o status de xiao san e querem ser reconhecidas por isso mostrando o quanto o ‘marido’ cuida bem delas e lhes dá do bom e do melhor (e que melhor...).

    Lá no passado, bem longinguo, era claro e mandatório que todo homem para ‘cumprir seu mandato do céu’ teria que ter um filho homem. Se a primeira mulher não havia lhe dado isso (até hoje os homens em geral, teimam em pular a aula de biologia que explica que o sexo do bebê é definido por eles, mas isso é outra história...rs), eles tinham o direito de buscar esse filho com a segunda esposa. Mas claro que a primeira era a primeira, se é que é possivel se manter de cabeça erguida, com uma moça muito mais jovem, as vezes morando na mesma casa, e sabendo que ela está lá para cobrir uma falha dela. Cruel, no minimo.

    Aí voltamos naquele ponto que sempre tento ressaltar quando falamos da cultura chinesa: o que vai contra os nossos princípios, nossa criação judaíco-cristã ou como vocês queiram chamar os nossos códigos sociais, nos assusta e muitas vezes nos causa revolta e/ou repulsa. Mas não para eles. Na realidade a recíproca é verdadeira na mesma proporção. Nós também chocamos eles em muitas das nossas atitudes corriqueiras.

    Então, para recapitular e catar o fio da meada, precisamos entender que infidelidade nem sempre é desprezada pela sociedade e amor não é a base para o casamento. Pelo menos aqui na China. E já escrevi sobre essas ‘razões para o casamento’nesse post aqui.

    E num dos muitos artigos que li, a entrevistadora perguntou ao homem porque ele mantinha o casamento se, publicamente, assumia sua predileção pela amante. E ele, sem nenhum tipo de constrangimento, respondeu que era por conveniência. As duas familias estavam felizes com o casamento, eles haviam feito um patrimônio considerável e romance eles buscam em algum outro lugar. E é assim mesmo. Casamento aqui é troca de interesses, dotes, soma de patrimônio, conveniência para o status social. Assim já era na época dos imperadores e continua sendo em pleno século 21.

    Mas o fato é que parece que esse fenômeno, que até havia dado uma trégua durante os anos da revolução (afinal o que tinham as pessoas para conquistar uma er nai?), está ganhando força e vulto tão rapidamente como as contas bancárias e fortunas inimagináveis dos chineses. Vários blogs aqui na China, a maioria de estrangeiros, relatam e mostram as grandes confusões que são armadas pela China afora. Por que, hoje em dia, as mulheres chinesas já não são tão passivas quanto eram. E aí, li muita história de esposas que acham ótimo que o marido tenha a er nai e a deixe tocar a vida como bem entende, mas também tem as que vão atrás e saem literalmente no braço, como nessas fotos desse blog, que coloquei abaixo. E só para esclarecer, o marido está protegendo a segunda esposa e deixou a primeira no meio da multidão.


    Agora, também li estórias de er nai que vai na sua BMW na casa da esposa oficial e fala horrores para ela, com a intenção de desmoralizá-la e quem sabe ter o caminho livre para ser a oficial. Ai, o ser humano! No final esses sentimentos básicos são universais, apesar das diferenças culturais.

    Ah, já ia me esquecendo: tudo isso começou por causa do artigo da aula de marketing, que queria mostrar que as ‘er nai’ são o segundo maior volume de compras no mercado de luxo chinês, já que além delas exigirem o que podem, os homens também querem mostrar que podem proporcionar o que há de melhor para suas segundas esposas. E um dado interessante nesse artigo é que o governo proíbe os seus funcionários de terem uma er nai. Mas nada tem haver com defesa da moral e dos bons costumes. É só para evitar mais corrupção, porque está claro que um funcionário do governo não tem como manter a familia oficial e mais a sua segunda esposa dentro dos padrões básicos requeridos para isso!

    O primeiro lugar no movimento desse mercado de luxo fica com os homens de negócios que usam as griffes para presentear seus fornecedores, clientes e membros do governo, mantendo a harmonia do seu relacionamento empresarial (e isso também dá um bom texto... fica para a próxima!)

    Zài Jiàn.

     



    Categoria: China
     Escrito por Christine Marote às 01:34
    [] [envie esta mensagem] []



    Fatos da China

     
     

    Fatos da China

    SEDA

    De acordo com a lenda chinesa, a seda foi descoberta em 3000 AC por Xi Ling Sui, esposa do legendario imperador Huang Di. Quando um casulo do ‘bicho da seda’ caiu acidentalmente dentro da sua xícara de chá quente, percebeu que o casulo era formado finos fios que se soltaram na água quente. E assim surgiu a seda. A China ainda hoje é a produtora de 54% de toda seda no mundo.

    Museu da Seda em Suzhou - 2011

    SOBRENOME

    Apesar de existirem milhões de sobrenomes na China (ou nomes de familia), os 100 mais comuns, que juntos são menos de 5% dos existentes, são usados por nada mais, nada menos que 85% da população chinesa. Os 3  mais comuns dentre os comuns são: Li, Wang e Zhang, que respectivamente representam 8, 7,5 e 7% desse montante. Esses números representam aproximadamente 300 milhões de pessoas e já dá para saber que são os sobrenomes mais comuns no mundo (quando a estatística é feita em cima de população, a China não dá chance a mais ninguém!). Em chinês a frase ‘três Zhang, quatro Li’ (Zhang san Li sì - 张三李四 ) é popularmente usada para dizer ‘qualquer um’.

    MATEMÁTICA

    A matemática chinesa, evoluiu independentemente da matemática grega e, consequentemente, é um tópico de muito interesse aos historiadores da matemática. Acredita-se que os chineses já usavam o sistema decimal antes do século 14 AC, ou seja, 2300 anos antes de ser conhecido na matemática européia. E também é possivel que eles foram os primeiros a utilizar um lugar ao zero.

    TABACO

    Já falei em algum momento, mas vamos de novo: a China é o maior produtor e consumidor de tabaco no mundo (claro). O número aproximado de fumantes é de 350 milhões (no minimo...) e aqui são produzidos 42% dos cigarros consumidos no mundo. Especialistas afirmam que aproximadamente 1,2 milhões de chineses morrem anualmente vitimas do tabagismo. E apesar das tentativas de informação à população sobre os maleficios do fumo e de algumas leis de restrição aos locais de fumantes, que começaram em 2010, estima-se que o número de mortes pelo tabagismo será de 3,5 milhões de pessoas em 2030. Agora, 60% dos médicos chineses (homens) são fumantes, a maior proporção no mundo! Então fica super fácil conscientazar a população, né?

    POPULAÇÃO

    Nanjing Pedestrian Street - Shanghai - outubro/2009

    São mais de 160 cidades chinesas que possuem mais de 1 milhão de habitantes! Nos EUA são 9 cidades e no Reino Unido, somente 2. Shanghai é a mais populosa, com 23 milhões de habitantes, segundo os dados de 2012. Me sinto literalmente uma ‘gota no oceano’!

    FRONTEIRAS

    A China possui aproximadamente 190.000 kilometros de fronteiras e é o país que faz fronteira com o maior número de países no mundo (alguma dúvida?). São 14 países, em sentido horário: Mongólia, Russia, Corea do Norte, Vietnã, Laos, Myanmar, Bhutão, Nepal, India, Paquistão, Afeganistão, Tadjiquistão, Quirguistão e Cazaquistão. Fora os países que estão muito próximos, mas o mar é a grande fronteira, haja visto as últimas discussões entre China e Japão. Talvez por isso eles se auto-denominem o ‘país do meio’ 中国 Zhōngguó.

    Zài Jiàn!



    Categoria: China
     Escrito por Christine Marote às 00:20
    [] [envie esta mensagem] []



    E já é dezembro... de novo!

     
     

    E já é dezembro... de novo!

    Mas é não é que dezembro chegou... de novo!!!

    Pois é, no ultimo post já falei sobre isso, mas realmente não me conformo. Deve ter algo errado com a tal engrenagem que gira a terra.

    Outro dia ouvi uma amiga dizer que o filho dela, de 6 ou 7 anos disse que achava que esse ano tinha passado muito rápido. Para tudo! Se uma criança está achando que faz pouco tempo que o Papi Noel passou na casa dele, e também acha que o tempo está passando depressa tem algo errado... me lembro que quando era criança os meses se arrastavam, e quando minha mãe dizia: será no Natal... Meu Deus, que angustia...

    Agora só me resta saber que essa sensação é só aqui no oriente, ou é geral... veremos.

    Mas como dezembro já está ai, começamos o ritmo alucinado natalino, mesmo na China. Aqui não se comemora Natal, mas como disse ontem para uma amiga no facebook, tudo é ‘made in China’ então a coisa ganha uma proporção astromica, isso sem falar que você ainda pode comprar direto do fabricante no TaoBao (lembram??). Poderíamos resumir que, para quem gosta de enfeitar a casa para receber o bom velhinho, entra em parafuso... uma verdadeira tortura chinesa. Literalmente.


    O interessante é que os chineses também aderem ao enfeites, não com tanto afinco como nós, mas eles acham bonito e divertido. E vamos combinar que enfeitar as coisas até a exaustão é com eles mesmo! Mas o fato é que eles gostam do Papi Noel, ou Santa Claus ou ainda o 圣诞老人- Shèngdàn lǎorén. Nunca pesquisei sobre isso, mas acho que eles devem encarar o Papai Noel como uma lenda, personagem do folclore ou coisa assim. E reverenciam esse personagem como amam o Mickey Mouse ou a Hello Kitty. Existem Chineses cristãos, inclusive tem um numero interessante de igrjas católicas aqui. Mas o numero no final é insignificante perante a população Nacional, para movimentar tanto o comércio assim.

    Os estrangeiros também não são pareo para o consumo chinês, até porque uma grande parte dos expatriados, principalmente os que tem filhos pequenos e/ou em escolas internacionais, que podem faltar algumas semanas na escola, vão para o seu pais nessa época. Sendo assim, não enfeitam as casas e nem se preparam para a ceia e festividades. Não é meu caso, pois meus filhos estão em universidades por aqui, e no caso do que estuda em Shanghai, tem prova até no dia 24, que é uma segunda feira. Só que depois eles tem quase 4 semanas de parada junto ao Ano Novo Chinês.


    Mas o fato é: não aguento mais ouvir ‘jingle bells’ em toda e qualquer loja, café e elevador que entro... Essa é a China globalizada... hallowen, Natal e só falta mesmo a Páscoa ser mais intensa. Eles até tentam, mas ainda não conseguiram captar o ‘espirito’ da data. Nesse ano não se achava mais do que uma ou duas marcas completamente desconhecidas de ovos de chocolate no Carrefour, o que já era de se esperar... E cada um se virou como pode para a festa de páscoa. Mas aí uns 10 ou 15 dias depois do domingo de Páscoa, descobri num supermercado de bairro que tem produtos importandos prateleiras e prateleiras de ovos de tudo que é marca, estilo e personagens que qualquer ocidental pode imaginar e, o melhor, numa super promoção! Comprar um ovo da Lindt de meio kilo, por menos de 50 reais é algo surreal, mesmo na China...


    Mas o que aconteceu? Não se deram conta que a Pácoa é uma data móvel, se basearam no anterior para fazer o pedido... e ainda pode ter havido algum atraso na alfandega... imagina o prejuizo! Mas a noticia se espalhou e todos correram para comprar os ovos de Páscoa fora de época!

    Pelo menos desta vez o estrangeiro levou alguma vantagem com o comércio local!

    E vamos voltar ao ‘Jingle bell’, ou quem sabe alguém tem a ideia de enviar o cd de Natal da Simone para um chinês... ia ser de matar...rs

    Então é Natal...

    Zài Jiàn!



    Categoria: Viver na China
     Escrito por Christine Marote às 10:06
    [] [envie esta mensagem] []



    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]