Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese, English, Livros, Viagens

Histórico
    Categorias
    Todas as Categiorias
      China
      Viver na China


    Votação
    Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
    Baobei Foundation - Precious life, precious child.
    Shanghai Connection
    Glaucia Garcia
    Laço do Infinito
    A lira do mercador chinês - Gilson Rosa
    Só sei que nada sei...
    Things become things.
    Tofu na China
    Palavras Vagabundas
    Receitas e tradições
    Expressões
    Doce Encanto
    PapelPicote
    Centro Espírita Irmã Cristina - Praia Grande - SP
    Sobreviver em Sinop
    Arquitetura Fashion
    Mentirinhas do Coala
    Jardim Valentina
    Brazilian Abroad - Brasileiros no exterior
    Do you Shanghai?
    A vida em mandarim
    Diário de Bordo - Agamenon Plait







    Criatividade sem limites.

     
     

    Criatividade sem limites.

    Não adianta, eu me surpreendo a cada dia nesse país. As vezes ficando brava e querendo sumir daqui, outras espantada com a capacidade deles de dar o famoso ‘jeitinho’ em tudo (aqui entre nós, nós brasileiros estamos há anos luz atrasados nesse quesito chinês!rs), outras ainda assustada com as coisas que eles fazem e constroem da noite para o dia e, de vez em sempre, rs, morro de rir com as ‘invenções’ inusitadas e completamente ‘no sense’.

    Realmente os chineses tem uma criatividade sem limites. Acho que é porque eles não tem barreiras estéticas, nem religiosas. Não se importam com o que os outros pensam e gostam de possuir coisas que chamem atenção, que dê a cada um uma posição de ‘destaque’ no seu circulo, seja pelo valor astronômico ou pela completa aberração (aos nossos olhos) que esse bem possa representar. Aqui discrição, a velha frase ‘menos é mais’, ser chique é ser discreto não fazem o minimo sentido e nem surtem efeito na sociedade.

    E para saciar toda essa sede de consumo criativo e de gosto duvidoso, o TAOBAO é um prato cheio. Como já disse é impossivel descrever tudo que é possivel se comprar no taobao, mas para vocês perceberem o alcance da coisa, eu e mais não sei quantas brasileiras, compramos botas e sapatos da AREZZO, made in Brazil, mesmo. De verdade. E nem vou falar o preço, senão vai ser um tal de gente querendo que eu leve sapato brasileiro para o Brasil, que não vai ter mala para caber. Rs. Mas a ressalva tem que ser feita: não são lançamentos. São modelos que já vi nas vitrines algum tempo atrás, mas o prazer de comprar um sapato brasileiro que não machuca seu pé quando você mora na China, é indescritivel! E também para botas, a moda não tem muita influência, mais é a cor, o tipo de salto. E comprar uma bota brasileira na China por 250RMB (pronto falei...) é um prazer mais prazeroso ainda!!

    Tem esses achados no Taobao, mas também tem os falsificados, que são anunciados como ‘não genuinos’. Olha, eu não acreditava que os chineses iriam vender fake online. Ai vi um sapato super hiper caro, por 200rmb e comprei. CLARO que não era original, por sinal era aquele fake de camelô nas calçadas de Copacabana para quem sabe o que isso significa, rs. Entrei no chat e chamei a vendedora e disse que queria meu dinheiro de volta, que ela havia me vendido um sapato fake. Ela, na maior cara de pau, disse ‘de jeito nenhum. Eu não vendo coisa fake. O sapato não é genuino, mas fake não!!!”, perguntei qual seria a diferença entre ‘não genuino’ e ‘falsificado’ e ela pediu para eu enviar o sapato pelo express e me devolveria o dinheiro. E assim foi feito. Sabe que no final eu me divirto com isso.

    O melhor mesmo para mim, é não ter que barganhar, nem me sentir ‘idiota’, enganada pelo vendedor, que acha que porque sou estrangeira tenho que pagar mais pelo mesmo produto. E a prova tive no aniversário da filha de uma amiga. Comprei uma caixinha para colocar lembrancinha e paguei RMB 0,40/cada. A caixa veio errada e eu pedi para trocar, mas não havia tempo para correio. O vendedor me disse que se eu era de Shanghai poderia ir na loja dele. Gente... o vendedor era do mercado dos lençois, aqui perto de casa, e eu paguei 0,40 pela caixa! Que delicia! Há uns 3 meses atrás, comprei algumas muito parecidas, no mesmo lugar e paguei RMB 1,20 cada uma. Dava para comprar 3! Agora se eu fosse lá com meus olhos redondos, NUNCA ele me venderia pelo preço certo. Por isso que virei fã do Taobao.

    Mas... como Taobao é chinês, nas minhas andanças pelo mundo  ‘taobaolistico’ encontrei algumas pérolas. Essas até copiei para colocar aqui, porque é impossivel resistir.

    Você quer dar uma ‘repaginada’ na sua sala de estar? Te mando as mais novas tendências made in China. Pode escolher...

     


    Adora um banho de imersão, mas não tem banheira em casa? Seus problemas acabaram! O TaoBao tem a solução!


    Gente, juro que agora, escrevendo isso, me lembrei das ‘organizações Tabajara’, e escrevi cantando a musiquinha!!!rs

    Zài Jiàn!



    Categoria: Viver na China
     Escrito por Christine Marote às 13:43
    [] [envie esta mensagem] []



    TAOBAO – o paraiso do consumo online

     
     

    TAOBAO – o paraiso do consumo online

    Além de tudo que se houve falar sobre os preços baixos na China, existe um paraiso paralelo, além das lojas de rua, que se chama ‘TAOBAO’. Acho que já comentei aqui, mas bem por cima. Taobao é um ‘hipermercado’ online, no mesmo padrão do Mercado Livre, Ebuy o Alibabá, só que com um alcance estratoférico, afinal a China tem uma população gigantesca, e os preços de cair para trás. Falei hipermercado, porque eles simplesmente vendem TUDO que você sonhar, imaginar, precisar (ou não... e esse é o maior perigo do taobao), para sua casa, carro (inclusive a casa e o carro), seu esporte, roupa, sapato, viagens aéreas, jóias, brinquedos, sementes de flores, vinho, artigos importados e, claro, os falsificados... é impossivel descrever o quão louca a coisa é. Somos capaz de ficar 3 horas navegando pelo site e nem se dar conta do tempo que passou.


    Quando falo que é um perigo, é porque quando você procura uma cadeira, por exemplo, a busca te mostra milhões de cadeiras e também, numa barra lateral, trilhões de coisas que ficariam perfeitas (de acordo com o critério chinês) ao lado da sua futura cadeira. E aí, a curiosidade mata, e você vai dar uma espiada naquele cachepô que vimos na semana passada numa loja de rua por 300RMB e no Taobao está por 89RMB. Sim, não digitei errado. A diferença é absurda em alguns casos.

    Hoje, sinceramente, não compro quase nada de cara, quando vejo numa loja. Eu observo, fotografo, de preferência o nome do fabricante, e volto para casa para uma imersão no mundo virtual chamado Taobao! Rs. E assim milhões de chineses o fazem e cada vez mais estrangeiros também. Mas nada é tão simples assim na China: acessar um site, escolher um artigo, clicar para pagar, pagar e receber em casa depois de 2 ou 3 dias. Ou melhor: para quualquer chinês é simples assim! Mas para os Laowai (estrangeiros) ai que martirio achar o caminho das pedras... Com excessão daqueles que por uma benção da natureza e capacidade pessoal de aprendizagem de idiomas, falam e escrevem fluentemente em mandarim. Bom, mas esse não é meu caso e nem da maioria dos estrangeiros que vivem  nas terras de Mao.

    Vamos começar acessando o site. Tudo em mandarim, ideogramas. Aí você vê aquelas fotos de coisas legais e os numeros super convidativos. Mas mais nada! Uma frustração. Aí toca baixar Google Chrome com tradução simultânea do mandarim para o inglês. Pode ser para português também, mas já percebi que pelo ingles a tradução é menos ruim. Com esse recurso já é possivel entender o esquema do site e da loja que você está acessando. Quantas peças tem da mercadoria, a descrição do produto, tamanho, preço do frete etc.


    Para escolher um artigo é a segunda maratona. Se o produto não foi aquele que você resolveu comprar porque ele apareceu na sua frente numa oferta irresistivel, você tem que descobrir a palavra chave. Moleza, né? Não, não é. Abrimos nosso amigo fiel dos estrangeiros na China, Google translator e digitamos ‘vase’ – vaso., que aparecerá em mandarim no quadrinho ao lado. Copia-se esses desenhinhos e cola-se na barra de busca do Taobao. Aperta o enter e... aparece um monte de coisas que não sei porque diabo eles acham que é um vaso e, às vezes até aparece um vaso no meio. Aí você tem que copiar a palavra em mandarim e colar no GT (google Translator, para faciliatar minha vida, ok?) invertido, e ver o que sai em inglês. E então você descobre que vase do inglês para o mandarim, gerou uma palavra que nada tem de sememlhança com um vaso, ou pode ser que apareça vaso sanitário.

    Essa luta se estende até que se consiga descobrir a palavra certa em inglês para chegar na tradução certa ou mais aproximada para o mandarim. Ufa.... Chegou no seu destino, escolheu, apertou a tecla ‘compre’. Ai entramos na fase do pagamento. Pegar o cartão de crédito ou do banco e pagar? Não, óbvio! Primeiro tem que ir ao banco e pedir para liberarem sua conta para compras online, depois tem que entrar no net bank e criar um nome ‘falso’ para sua conta, e autorizar você mesmo a pagar on line, criar mais 3 senhas diferentes e, depois de anotar tudo num papel que valerá mais que seu passaporte, pronto. Vc pode pagar.Um processo que no meu caso levou quase um mês e na ultima fase praticamente umas 4 horas para achar o caminho das pedras, ainda graças a uma amiga que veio me ajudar.  Claro que nem todo banco é tão complicado como o meu, mas... foi um parto!

    Fora que todas as suas informações tem que ser colocadas em mandarim, como endereço, cidade, etc. Aí o cara liga para confirmar o endereço... uiiii... corre e chama a ayi, o porteiro, qualquer um que possa se comunicar ao vivo com você depois do telefonema. Porque entender mandarim não é fácil ao vivo, imagina pelo telefone!

    Produto entregue, você confere, vai no taobao e autoriza o pagamento. E classifica o vendedor. E o taobao dá pontos para quem classifica, já que esse é um fator de extrema importância para os chineses: avaliação de usuários. Esses pontos, ainda não descobri direito como se usa, mas um dia chego lá!

    Bom, e se ao invés de telefonar o vendedor te chama no chat? Sim, Taobao tem seu próprio chat que você instala quando faz seu cadastro. Moleza. Lembra de como faço para descobrir a palavra chave da busca? Mesmo sistema: copia o que o vendedor te perguntou, cola no GT, inverte os idiomas, escreve a resposta. Copia em mandarim, inverte os idiomas do GT de novo e confere se a tradução faz sentido, afinal agora você está discutindo com o vendedor sobre o produto que comprou. Fez sentido, copia e cola no chat. Ai ele responde e o processo se repete até a conversa acabar... Fácil, fácil... =]

    Mas garanto. O esforço compensa e nos ajuda a poupar...rs

    Depois eu conto sobre o que podemos encontrar nesse mundo inusitado chamado TAOBAO!

    Zài Jiàn!

     



    Categoria: Viver na China
     Escrito por Christine Marote às 10:52
    [] [envie esta mensagem] []



    Guqin

     
     

    Guqin

    A China possui muitas curiosidades, que com certeza vocês já notaram! E nada é diferente em relação à musica.

    A musica chinesa tem seu ritmo e cadência próprias e, de verdade, eu gosto de algumas que já ouvi. Em Chang Chun, por falta de opção, chegamos até a comprar alguns CDs chineses que acabaram caindo no nosso gosto musical. =]

    Mas alguns instrumentos merecem um capitulo à parte. E aos poucos vou compartilharalgumas informações a respeito de alguns deles que possuem uma história bem interessante. Começando pelo:

    Guqin  古琴


    A construção desse instrumento é toda baseada em simbolismos. Originalmente ele tem 5 cordas que representam os 5 elementos (metal, madeira, água, fogo e terra). King Wen of Zhou (1152-1056 AC) adicionou a sexta corda para chorar pela perda de seu filho. E seu sucessor King Wu, inplementou a sétima para motivar suas tropas nas batalhas. Os 13 entalhes no corpo do instrumento, representam os 13 meses do ano (incluindo o mês que existe a mais dentro do ciclo do calendário lunar). A superficie arredondada representa o Céu ou Paraíso, e a parte plana representa a Terra. O comprimento dado através de 3chi (), 6bu () e 5li () (sistema de medidas da China antiga), representam os 365 dias do ano.

    Resumindo, todos esses detalhes colocados juntos representam o conceito chinês de harmonia entre o homem e o universo.


    Literalmente, quer dizer ‘instrumento musical antigo’ (alguma dúvida?). Foi criado a mais de 3000 anos e tocá-lo era um das boas quatro habilidades que os literatos e as filhas de familias abastadas deveriam ter para serem bem vistos na sociedade. Era considerado um perfeito meio de se expressar espirutualmente e cultivar a mente.

    Mas mesmo com toda a importancia desse instrumento, não era de bom tom tocá-lo em determinadas situações como durante uma tempestade, em locais muito barulhentos, frente há um grupo de estranhos, quando não haviam assentos para todos se acomodarem durante a execução ou quando o musico não estavisse devidamente trajado e limpo!


    Guqin foi o unico instrumento a ser banido como um dos ‘4 demônios’ durante a Revolução Cultural, o que fez as pessoas deixarem esse instrumento de lado e se perder a tradição. Apesar disso alguns artistas o mantiveram, de alguma forma, vivo.

    Em 2003, a UNESCO declarou o Guqin como ‘Obra-prima da história oral e imaterial da humanidade’. E apesar do instrumento estar novamente em circulação como um belo ‘presente’ para impressionar, dificilmente ele voltará aos seus tempos de glória.


    Esse instrumento sempre foi retratado através da pintura e escultura chinesa e pode ser colocado no colo, como em mesas especiais para melhor acomodar o instrumento e o músico.

    Zài Jiàn!



    Categoria: China
     Escrito por Christine Marote às 16:21
    [] [envie esta mensagem] []



    NUNCA?!? Tem certeza?

     
     

    NUNCA?!? Tem certeza?

    Pois é, sumi por uma semana. Mas aqui foi um feriadão de verdade! Primeiro tivemos o ‘Midd-autumm Festival’, o que se troca moom cakes.  Tem post sobre esse tema nesse link.


    E na continuação, o Dia Nacional da China, que foi em primeiro de outubro. E também tem um post nesse outro link. Esse feriado é o segundo mais importante na China e, como no Ano Novo Chinês, ninguém trabalha mesmo!


    E o que temos de novo por aqui? Nada...rs. Tudo na mesma, e estou num período de falta de criatividade para escrever, ou melhor para escolher o assunto. Às vezes ter opções demais acaba dando ‘overdose’ de informação. E eu tenho um processo pessoal criativo meio complicado. Não adianta eu olhar para a tal lista de assuntos em pauta que tenho aqui. Tem uns tópicos que não consigo fazer ir para frente. A coisa tem que dar aquele click, sabe? E assim do nada o texto vai saindo, nem eu sei explicar direito. Quantas vezes nesses dois anos já comecei a pesquisar sobre um assunto e quando vi escrevi um post que nada tinha haver com a pesquisa inicial, que voltou para a fila, oh dó!!!

    E nessa briga insana da minha necessidade de postar com a minha falta de ‘feeling’ sobre o que postar, lembrei que outro dia uma amiga me escreveu dizendo que quem iria imaginar, lá no inicio de 2000 que eu, 12 anos depois estaria vivendo e escrevendo sobre a China. E comecei a , lembrar do fato que gerou esse comentário e resolvi contar para vocês. Morri de rir sozinha de lembrar e estou postando para enfatizar minha teoria que a única coisa na vida que NUNCA podemos dizer é NUNCA!

    Pois bem, carnaval de 2000, meus filhos foram passar a semana com o pai e eu ia ficar sozinha em casa, com todos os amigos viajando. Meio depressivo... Mas meus pais moram no Rio de Janeiro e iam ficar lá no carnaval. Aí pensei: “Christine.... helloooo!”, e lá fui eu comprar passagem e me aventurar na nova companhia aérea Gol. Quando sentei no avião, olhei para os lados e havia um rapaz e uma moça me fazendo companhia. A moça morrendo de nervoso porque era comissária de bordo de uma outra cia aérea e estava de licensa médica, ou seja não poderia estar voando, muito menos indo curtir o carnaval no Rio. Mas, por conta disso, ela estava explodindo e começou a falar. A história toda era muito divertida (ao menos para mim), e aí o rapaz que estava do meu lado esquerdo achou que também tinha que aliviar a sua tensão, afinal estava indo para o Rio, para embarcar num outro voo para a............ CHINA!!! Isso mesmo, tá vendo? Eu não perdi o foco do blog, não!

    Bom, ai a história da moça deixou de ser o foco e nós duas, em uníssono, perguntamos: “Mas que diabos você vai fazer na China??” E ai começamos as duas a discutir como uma pessoa em sã consciência poderia pagar uma fortuna, viajar ‘trocentas’ horas para ir para a CHINA???!!! Eu NUNCA ia fazer uma loucura dessas!!!

    Perceberam o negrito? Mas o coitado do moço, com sua calma confuciana, só falou no meio das duas tagarelas: ‘sou médico e vou me especializar em acupuntura, na China.’ Bom, primeiro o choque que emudece, depois os olhares mais perplexos ainda e, de novo em coro, ‘acupuntura na China??? Você só pode estar louco!’. E começamos de novo nossa discussão sobre a vida de um terceiro que conhecíamos há mais ou menos 20 minutos! Mas isso eram 2 da manhã, porque esqueci de mencionar que nesse dia o voo atrasou e não pode sair de Congonhas, tivemos que ir de ônibus para Guarulhos... bom, ‘door to door’ (pois sou de Santos), levei exatas 7 horas para chegar ao Rio! E esse foi mais um motivo para os ânimos estarem ansiosos...rs

    Olha, não lembro direito o que foi conversado depois disso, mas algumas perguntas padrão foram feitas: ‘como você vai comer? E como vai se comunicar? E como vai sobreviver?’ e ele pacientemente, nos explicou e rimos muito. Foi a viagem de avião mais divertida da minha vida. No final ele nos deu seu cartão de visita, escrito em mandarim e ingles. Que máximo!! Nem preciso dizer que o coitado, que nem lembro o nome, foi o assunto da semana para mim, quando alguém me perguntava sobre meu feriado na Cidade Maravilhosa: ‘Gente, o carnaval foi normal, mas vocês não sabem: conheci um maluco no avião, que estava indo para a CHINA!!’ e a resposta era: ‘ Meu Deus, para a China??” Infelizmente joguei o cartão fora, ou se perdeu no meio de alguma caixa, sei lá. Mas se tivesse o contato dele, juro que hoje mandaria um email...rs

    E, 4 anos depois desse episódio, começava a MINHA história com a inimaginável China.

    Realmente havia esquecido disso, e agora lembrando só posso dizer que nossa vida é uma caixa de surpresas de verdade. Por essas e outras que mudei muito minha maneira de encarar a vida e reagir às coisas ruins, e até às boas, que nos acontecem todos os dias. Perdeu a hora, vamos reagendar para amanhã o compromisso. Estressou com alguma coisa? Respira fundo e pensa que poderia ser pior (sempre pode, acreditem...).

    O desapego material também vem na esteira, no sentido deque  nada é tão importante que não possa ser substituido, além da nossa saude e integridade fisica e mental. Copos de cristal? Se tenho é para usar, se quebrar compro outros. Ahhh, mas esse cristal é muito caro. Ok, compro outros de um cristal não tão especial e uso o dinheiro da diferença (se tiver...rs) para encher as taças mais vezes com um bom vinho e brindar com os amigos. Pode até soar futil esse exemplo que escolhi, mas transfiram isso para tudo que possa ser substituido em termos materiais.

    Bom, ainda bem que eu não estava inspirada para escrever hoje, mas foi muito bom, dar essa relembrada num fato tão distante e tão ‘premonitório’ (rs) da minha vida. E lembrem-se NUNCA digam NUNCA! Além do que, hoje eu mesma posso responder todas as perguntas que fiz para o rapaz, aliás esse ‘questionário’ deve fazer parte de algum ‘manual para lidar com um maluco que te diz que vai para a China’, ou coisa que o valha. Porque a ordem das questões podem variar, mas a essência é sempre a mesma!

    Zài Jiàn! =]



    Categoria: Viver na China
     Escrito por Christine Marote às 16:18
    [] [envie esta mensagem] []



    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]